A ESTASE DE SANGUE DO FÍGADO GERANDO TENDINITE

A ESTASE DE SANGUE DO FÍGADO GERANDO TENDINITE
0 08/03/2017

A ESTASE DE SANGUE DO FÍGADO GERANDO TENDINITE

Autora: Marjorie Fabiana Coelho da Cunha

 

Resumo

A tendinite é uma inflamação de um tendão que surge usualmente através do excesso de repetições de um mesmo movimento. A acupuntura atende um número significativo de pacientes com esta patologia a fim de restabelecer uma diminuição do quadro álgico, edema e o quadro inflamatório. Na MTC a tendinite pode ocorrer por diversas causa diferentes como: estase de sangue do fígado; deficiência da vesícula biliar; trabalho físico excessivo esvaziando baço e fígado; distúrbio de entrada e saída de Qi nos órgãos baço e fígado e pela penetração de agentes externos vento, frio e umidade. Dentre essas causas a mais comum é a estase de sangue do fígado, que pode ocorrer pela estagnação do Qi, pela deficiência do Qi, pelo calor no sangue, pela deficiência do sangue, por frio interior ou por fleuma. Se fazendo necessário, para a boa recuperação do paciente, movimentar o sangue e o Qi e suavizar o fígado eliminando a estase.

Palavras – chave: tendinite, acupuntura, estase de sangue

 

Abstract

Tendinitis is inflammation of a tendon that normally arises through excess of repetitions of the same movement. Acupuncture serves a significant number of patients with this disease in order to restore a decrease in pain symptoms, edema and inflammatory condition. MTC tendonitis may occur for several different causes such as liver blood stasis; deficiency gallbladder; Excessive physical work emptying spleen and liver; Input disorder and Qi output in the spleen and liver organs and the penetration of external agents wind, cold and moisture. Among these causes the most common is the liver blood stasis, which can occur by stagnation of Qi, the deficiency of Qi, heat in the blood, the blood deficiency by cold inside or phlegm. And it is necessary for the successful recovery of the patient, move the blood and Qi and soothe the liver eliminating stasis.

key words : tendinites, acupuncture, blood stasis

 

1.     Introdução

A tendinite é uma inflamação de um tendão que surge usualmente através do excesso de repetições de um mesmo movimento (LER – DORT). Não é adquirida necessariamente no trabalho, mas com a difusão da inflamação, tornou-se uma importante doença ocupacional. Os grupos mais afetados são operários de linhas de montagem e pessoas que utilizam demais o mouse de um computador.

A dor é a principal queixa dos pacientes com tendinite e a acupuntura tem apresentado um efeito positivo e potente no tratamento da dor, além de tratar o desequilíbrio energético dos meridianos envolvidos e os fatores emocionais.

Na MTC a principal causa de tendinite é a estase de sangue do fígado, que pode ocorrer por diversas causas diferentes, gerando ao paciente um desconforto acentuado se fazendo necessário o tratamento para mobilização desse sangue estagnado.

Este artigo é uma revisão da bibliografia atual, sendo utilizado como fonte de pesquisa livros e artigos científicos. O principal livro utilizado foi o Fundamentos da medicina chinesa do Maciocia, pois nele foi encontrado, com mais detalhes a estase de sangue no fígado e suas causas. Os artigos acadêmicos encontrados foram importantes para a conclusão do trabalho, porém, todos encontrados se voltavam para a parte ocidental da patologia com grande extensão e deixavam pouco assunto para a parte oriental da patologia, que neste trabalho era de suma importância.

Portanto neste trabalho foi priorizada a parte oriental, visto que, a estase de sangue do fígado é um diagnóstico oriental da tendinite. Este tema precisa ser mais revisitado devido a escassez de material encontrado..

 

2.     Implicações da Acupuntura na Tendinite

As tendinites são muito frequentes entre os adultos, independente da faixa etária. Aparecem sob a forma aguda, crônica, unilateral ou bilateral.

Ressalta-se que nas últimas décadas com o aumento da informatização os trabalhadores passaram a sentir na sua saúde a consequência dessas mudanças, ou seja, o uso do computador que prometia trazer a praticidade e a agilidade para o dia a dia fez com que centenas de profissionais adoecessem cada vez mais, assim como outras ferramentas de trabalho. (MINORI, 2016)

Na visão ocidental a causa da tendinite ainda não está bem definida, mas se tem hipóteses condizentes com sintomas apresentados pelos pacientes. Outras acreditam que está relacionado diretamente com o trabalho repetitivo, relacionadas juntamente com outros fatores, como, psicológicos, má postura e ausência de uma ergonomia adequada à função do trabalhador. (MINORI, 2016)

Sabemos que a acupuntura atende um número significativo de pacientes portadores de diversas patologias e apresenta efeitos reais no tratamento dessas patologias. Podemos incluir as tendinites, afim de restabelecer uma diminuição do quadro álgico, edema e quadro inflamatório. Podendo proporcionar uma melhora da qualidade de vida, diminuição do tempo de afastamento laboral, e com um excelente custo benefício para os profissionais desta área. (LIMA, 2016)

Segundo Franca a acupuntura atua na inibição do ciclo espasmo-dor, como um excelente analgésico através de alguns mecanismos: bloqueio aferente segmentar, bloqueio descendente supra-espinhal, mediante as vias piramidais, ativação de processos analgésicos endógenos (liberação de encefalinas e endorfinas), melhora da capacidade física e a performance do fuso muscular e tendinoso durante os movimentos, e aumento do aporte sanguíneo, de oxigenação tissular, da atividade fagocitária  e da liberação de substâncias vasoativas, favorecendo assim a recuperação do sistema músculo-esquelético. (FRANCA, 2004)

Porém a acupuntura é e vai muito além disso. Marques fala que a filosofia chinesa observou e desenvolveu conhecimento sobre três pilares básicos da natureza nos quais se apóia toda teoria da medicina chinesa, que são: yin e yang, cinco elementos e, zang-fu. (MARQUES, 2009)

O yin e o yang são essencialmente a expressão de uma dualidade no tempo, uma alternância de dois estágios opostos. Cada fenômeno no universo se alterna por meio de um movimento cíclico composto de altos e baixos, e o yin e o yang são a força motriz dessa mudança e desse desenvolvimento. (MACIOCIA, 2014)

A teoria dos cinco elementos considera que o universo é formado pelo movimento e a transformação dos cinco princípios representados por: madeira, fogo, terra, metal e água. Desde as origens considera-se que eles tem relações constantes entre eles: eles se originam reciprocamente e são condicionados uns pelos outros. (AUTEROCHE, 1992)

A teoria dos zang-fu é um exame minuscioso da energia de cada órgão e viscera do corpo.

O Qi e o XUE são produtos das atividades funcionais dos sistemas zang-fu, manifestando-se de matérias essenciais obtidas do alimento e do ar. Uma vez que a produção do Qie do XUE depende do bom funcionamento dos sistemas dos zang-fu, o seu transporte conta com a junção própria dos jinge dos luo. Os jing e os luo carregam o Qie o XUE para todas as partes do organismo, promovem o yin e o yang, nutrem os órgãos, os músculos, os tecidos e os ossos, além de hidratar as articulações, mantendo assim, o funcionamento normal do corpo. (LI, 1996)

A acupuntura procura determinar a natureza da doença ou da desarmonia da mente ou do corpo através de uma anamnese minuciosa, onde são analisados os sintomas, históricos familiares e de doenças, dieta, estilo de vida, comportamentos da digestão, circulação. São observados o ritmo do sono e as alterações emocionais. A língua é examinada (estrutura, cor, revestimento), os pulsos também são avaliados (qualidade, ritmo e força). Além disso também é observado a postura, cor da face, jeito de falar e respiração. (FURTADO, 2016)

Segundo Maciocia na visão da MTC os padrões das tendinites podem ocorrer por diversas causas diferentes. Sendo elas: (MACIOCIA, 2014)

A estase de sangue do fígado, como uma das principais causas da tendinite. Ela não tem fatores etiológicos diretos uma vez que é uma doença que se desenvolve a partir de outras condições patológicas, principalmente da estagnação do Qi, frio ou calor. Porém, entre eles, a causa mais comum de estase do sangue do fígado é a estagnação do Qi do fígado.

Deficiência da vesícula biliar, que representa o aspecto yang do fígado e, quando ela está deficiente, o Qi do fígado também está deficiente, gerando deficiência de sangue do fígado.

Trabalho físico excessivo esvaziando baço e fígado. Em geral, o trabalho físico excessivo esvazia principalmente o baço e o fígado, já que o primeiro controla os músculos e o segundo, os tendões. O uso excessivo de uma parte do corpo também causa estagnação de Qi naquela parte em particular. Por exemplo, o movimento repetitivo constante que pode ser associado com um certo trabalho tenderá a causar estagnação de Qi naquela região: o braço dolorido de um cabelereiro ou o punho dolorido de um digitador são exemplos desta estagnação.

Pode ser causado pelo distúrbio de entrada/saída de Qi nos órgãos baço e fígado. Uma saída excessiva gera; no baço, músculos tensos e no fígado uma contração dos tendões; uma entrada excessiva gera no baço flacidez muscular e no fígado tendões muito soltos, propensos a ferimentos.

Pode ser provocada pela penetração do vento, do frio e da umidade que detém a circulação do Qi e do sangue. (MACIOCIA, 2014)

Já para Ross fala muito poeticamente, que quando as pessoas perdem o contato com a revelação harmônica do self, podem se sentir cada vez mais impedidas e bloqueadas. Gerando uma estagnação de Qi e consequente estagnação de sangue. (ROSS, 2003)

Dentre esses padrões referidos a principal causa para as tendinites é a estase de sangue do fígado que gera diminuição da flexibilidade dos tendões e a pessoa pode experimentar dureza, rigidez e dor nas articulações.Um dos principais sintomas da estase de sangue do fígado é a dor que é fixa em um lugar, de caráter perfurante ou em punhaladas.A estase do sangue do fígado sempre decorre de outros padrões, sendo eles: estagnação do Qi; frio; calor; deficiência do Qi; deficiência do sangue; e fleuma.

Os primeiros três padrões são os precursores mais comuns da estase do sangue do fígado. A estagnação do Qi provavelmente seja o mais comum. O Qi é o comandante do sangue; quando o Qi se move, ele movimenta o sangue. Reciprocamente quando o Qi estagnar, o sangue estagna. E quando o Qi não tem força para fazer circular o sangue, as estases sanguíneas se transformam em acúmulos que bloqueiam a circulação e suscitam dores fixas, não melhoradas pela pressão. (AUTEROCHE, 1992)

O frio também frequentemente conduz a estase de sangue, uma vez que gela o sangue. (MACIOCIA, 2014) O frio é de natureza yin tendo como função coagular e lesar o yang Qi. (AUTEROCHE, 1992)

O calor provoca a estase de sangue por condensação do sangue.

Finalmente a fleuma interage com a estase do sangue e uma agrava a outra mutuamente. Isso acontece devido à inter-relação entre sangue e fluidos corpóreos. É mais comum no idoso. (MACIOCIA, 2014)

A estase de sangue do fígado tem como características: dor, que é pungente, localizada, fixa, opressiva e aumentada pela pressão; tumefação localizada, que é fixa, não mobilizável a palpação; cor, que além de estar presente nas tumefações, a cor violácea é perceptível nos lábios e nas unhas, e sobretudo se manifesta na língua por pontos violáceos localizados, em placas ou em estrias, trazendo pela sua situação, um auxílio a localização do acúmulo de sangue; perdas de sangue, quando acúmulos de sangue obstruem os vasos, o sangue não pode circular e transborda; períodos menstruais, são dolorosos com coágulos escuros; pulso, que é em corda, firme ou áspero. (AUTEROCHE, 1992)

Conhecendo desta forma a estase de sangue do fígado, teremos como princípio terapêutico: movimentaro sangue e fazer o Qi circular; e suavizar o fígado e eliminar a estase.

 

  • Tratamento

Para obter a terapêutica proposta se sugere, como forma de tratamento, os pontos:

F3 – para movimentar o Qi do fígado e o sangue.

VB34 – para mover o Qi do fígado, relaxar e fortalecer os tendões.

B18 – para mover o sangue do fígado.

B17 – para mover o sangue e é ponto de união para o sangue.

BP10 – para mover o sangue. Usado em união com o B17 move o sangue nos aquecedores superior e inferior respectivamente.

BP4 e PC6 – para abrir o vaso penetrador que é o mar do sangue, seu uso principal é mover o sangue na estase de sangue.

F5 e F6 – para mover o Qi e o sangue do fígado.

 

Na atualidade, esses pontos tem sido juntamente utilizados com uma técnica chamada acupuntura cinética ou cinesioacupuntura. Esta técnica é uma conduta multidisciplinar que tem por vantagem a aplicação sincronizada da fisioterapia e da acupuntura em uma só sessão, se fundamentando na preparação da estrutura para receber o estímulo fisioterapêutico, mediante inibição do ciclo espasmo dor; promoção do movimento pelo efeito potencializador e sinérgico da acupuntura durante a execução da cinesioterapia, e a manutenção de resultado terapêutico, mediante estímulo de ação prolongada, através da microacupuntura, que melhora o sistema musculoesquelético, em relação a tendinite, através da diminuição do quadro álgico, relaxamento muscular, redução do bloqueio fibrótico, miogelose e a reintegração do sistema neuromotor e emocional. (FERNANDES et al, 2005)

 

  1. Conclusão

            Portanto, conclui-se, que a tendinite na MTC é oriunda de causas diversas que não somente pelo movimento repetitivo e que dentre essas causas a mais comum é a estase de sangue do fígado.

Porém se faz necessário uma avaliação minuciosa do pacientepara detectar o desequilíbrio energético por trás da patologia apresentada.

Após ter encontrado o distúrbio energético por trás da causa da tendinite é que se pode fazer um tratamento adequado para o paciente. Afinal cada paciente é um ser único e independente.

Observamos que como forma de tratamento para a tendinite teremos a escolha adequada de pontos, a auriculoterapia e a cinesioacupuntura. Todos visando o equilíbrio energético do paciente e a melhora da dor que é a principal queixa destes pacientes.

Este artigo foi difícil de ser construído devido a escassez de material relacionados ao tema, se fazendo necessário mais pesquisas em relação a este, uma vez que este assunto é de suma importância para o tratamento da patologia em questão.

 

4.     Referências

AUTEROCHE, B., & NAVAILH, P. O diagnóstico na medicina chinesa. São Paulo:

Andrei, 1992.

FERNANDES, Vasco Senna; FRANÇA, Daisy; SANTOS FILHO, Sebastião D; CORTEZ, Célia;  BERNARDO FILHO, Mário; GUIMARÃES, Marco Antônio. Acupuntura cinética como tratamento coadjuvante na qualidade de vida de pessoas com distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho. In:  Fisioterapia Brasil – Volume 6 – Número 3 – maio/junho de 2005.

FURTADO, VanessaTharllen da Silva; MEJIA, Dayana Priscila Maia. “Benefícios da acupuntura nos esportes de alto rendimento.” In:  <http://docplayer.com.br/8973151-Beneficios-da-acupuntura-nos-esportes-de-alto-rendimento.html>. Acesso em: 20-03-16.

LI, Ding. Acupuntura teoria dos meridianos e pontos de acupuntura. Ed. Roca, 1996.

LIMA, Adiano Leão; MEJIA, Dayana Priscila Maia. “Auriculoterapia no tratamento e no ganho de amplitude de movimento em pacientes portadores de tendinite.” In: < http://portalbiocursos.com.br/ohs/data/docs/13/53_Auriculoterapia_no_tratamento_e_no_ganho_de_amplitude_de_movimento_em_pacientes_portadores_de_ten.pdf.>. Acesso em: 20-02-2016.

LIMA, Paulo Renato. Manual de acupuntura: direto ao ponto. Porto Alegre: Nova Letra, 2015.

MACIOCIA, Giovanni.Fundamentos da Medicina Chinesa. São Paulo:

Ed. Roca, 2 ed., 2014.

MARQUES FILHO, Arnaldo. Ponto-atendimento em acupuntura – tirando a dor com um único ponto. São Paulo: Ed Roca, 2009.

MINORI, Andrea Emiko Tavares; MEJIA, Dayana Priscila Maia. “Atuação da acupuntura para o tratamento de LER/DORT no ombro. In: <:http://portalbiocursos.com.br/ohs/data/docs/13/07__-_AtuaYYo_da_Acupuntura_para_o_tratamento_de_L.E.R.D.O.R.T._no_ombro.pdf >.  Acesso em: 01-05-16.

NUNES, Elidiane do Amaral; MEJIA, Dayana Priscila Maia. “Tratamento de acupuntura para combater dores nos ombros”. In: <http://portalbiocursos.com.br/ohs/data/docs/13/48_-_Tratamento_de_acupuntura_para_combater_dores_nos_ombros.pdf>.  Acesso em: 20-02-16.

ROSS, Jeremy. Combinação dos pontos de acupuntura: a chave para o êxito clínico. Ed Roca, 2003.