A UTILIZAÇÃO DA ACUPUNTURA COM EFICIÊNCIA NOS CASOS DE INSÔNIA

A UTILIZAÇÃO DA ACUPUNTURA COM EFICIÊNCIA NOS CASOS DE INSÔNIA
0 08/03/2017

A UTILIZAÇÃO DA ACUPUNTURA COM EFICIÊNCIA NOS CASOS DE INSÔNIA

 Autor: Rita de Cássia de Sá Silva Aguiar

 

Resumo

A insônia é considerada como dificuldade de manter o sono ou o sono agitado. A insônia pode ser classificada quanto ao padrão de sono, duração, gravidade e etiologia.  A insônia apresenta uma prevalência de cerca de 30-35% da população. A insônia representa um importante problema de saúde pública, pois afeta grande parte da população. Alguns dos seus fatores de risco incluem o envelhecimento, sexo feminino, comorbidades, trabalho por turnos e, provavelmente, desemprego e menor status socioeconômico. A insônia é diagnosticada pela avaliação clínica e história do sono, além de detalhada anamnese médica, uso de drogas e avaliação de transtornos psiquiátricos. O sono na visão da Medicina Tradicional Chinesa (MTC) depende do estado do sangue (Xue) e o consumo de Yin, especialmente do Coração e do fígado, embora o Xue e o Yin dos outros órgãos também influenciem no sono.

 Palavras-chave: Insônia, Acupuntura, Medicina Chinesa.

 

Abstract

Insomnia is considered as difficulty maintaining sleep or restless sleep . Insomnia can be classified as the sleep pattern , duration , severity and etiology. Insomnia has a prevalence of about 30-35% of the population. Insomnia is a major public health problem because it affects much of the population . Some of the risk factors include aging , female sex, comorbidities , shift work and probably unemployment and lower socioeconomic status. Insomnia is diagnosed by clinical and sleep history , and detailed medical history , drug use and evaluation of psychiatric disorders . Sleep in view of Traditional Chinese Medicine ( TCM) depends on the blood status ( Xue ) and the consumption of Yin , especially heart and liver , although Xue Yin and other organs also influence asleep.

Keywords: Insomnia, Acupuncture , Chinese Herbal Medicine

 

 

Introdução

Pode-se caracterizar a insônia por dificuldade em iniciar o sono, ou por acordar durante a noite com dificuldade para voltar a dormir com consequências no dia seguinte. Muitas vezes, ocorre a sensação de sono não reparador, de má qualidade, com cansaço diurno. Outras consequências da insônia em longo prazo são irritação, dificuldade para se concentrar ou de memória, sintomas de depressão, entre outras (PRADO, CARVALHO e PRADO, 2012; ECKELI et al, 2013; KUBOTA, SILVA e MASIOLI, 2014).

Para entender a insônia, convém definir sono- é um estado fisiológico caracterizado pela cessão reversível da consciência e por elevação do limiar de respostas ao meio ambiente, que ocorre em episódios periódicos. O sono origina-se no sistema nervoso central, em estruturas subcorticais.

A insônia é considerada como dificuldade de manter o sono ou o sono agitado. A insônia pode ser classificada quanto ao padrão de sono, duração, gravidade e etiologia.  A insônia apresenta uma prevalência de cerca de 30-35% da população (FILHO, PRADO, 2007; MARTINEZ, 2009; PRADO, CARVALHO e PRADO, 2012).

Para Neves et al (2013) a insônia representa um importante problema de saúde pública, pois afeta grande parte da população. Alguns dos seus fatores de risco incluem o envelhecimento, sexo feminino, comorbidades, trabalho por turnos e, provavelmente, desemprego e menor status socioeconômico. A insônia é diagnosticada pela avaliação clínica e história do sono, além de detalhada anamnese médica, uso de drogas e avaliação de transtornos psiquiátricos.

Para Rausch (2009), a insônia crônica é mais complexa e geralmente resulta de uma combinação de fatores, incluindo doenças físicas ou mentais subjacentes. Uma das causas mais comuns de insônia crônica é a depressão. Outras causas incluem artrite, doença renal, insuficiência cardíaca, asma, apneia do sono, narcolepsia, síndrome das pernas inquietas, doença de Parkinson e hipertiroidismo. Porém, insônia crônica pode também ser devido a fatores comportamentais, incluindo o mal uso de cafeína, álcool ou outras substâncias; sono / vigília ciclos interrompidos, como pode ocorrer com o trabalho por turnos ou outros horários de atividade noturna e estresse crônico.

O sono na visão da Medicina Tradicional Chinesa (MTC) depende do estado do sangue (Xue) e o consumo de Yin, especialmente do Coração e do fígado, embora o Xue e o Yin dos outros órgãos também influenciem no sono. (LIMA, LIPPI e SAKELLARIOS, 2015; FOCKS, 2005).

Durante a noite, a energia do Yin predomina e a Mente e a Alma Etérea devem ser ancoradas no Sangue do Coração e no Sangue do Fígado, respectivamente. Um distúrbio do sono pode ser decorrente de a Mente ou a Alma Etérea não estarem ancoradas no Sangue do Coração ou no Sangue do Fígado, respectivamente; isso pode acontecer porque não há Sangue suficiente para ancorarem ambas, ou porque um fator patogênico (como Calor) os agita. (MACIOCIA, 2007). 

Para esse estudo realizou-se uma revisão de literatura que constou de pesquisa em artigos científicos de revistas especializadas e bases de dados científicos em Biblioteca Virtual de Saúde (BVS), Scientific Eletronic Library on Line (SCIELO), Anais de Congresso e livros. Foram incluídos artigos relacionados ao tema do ano de 2009 a 2016., com o uso dos descritores: Insônia, Acupuntura e Medicina Chinesa.

Para Auteroche e Navailh (1992), a insônia está relacionada à deficiência do baço e do coração, de modo que a pessoa apresenta dificuldade de dar início ao sono e apresenta facilidade de despertar devido ao excesso de sonhos.

Wen (1985), afirma que o vento-interior, decorrente da deficiência de Xue e hiperfunção do Yang do fígado, bem como a deficiência do Yin dos rins, causam insônia.

Jesus (2013) fez uma correlação entre insônia e estresse, pois o estresse na MTC, não é uma doença, e, sim, o padrão desarmônico energético que a causa. Sendo assim a saúde é resultado do equilíbrio entre Yin e Yang. Quando estes estão em desequilíbrio, ocorre o processo de adoecimento. A doença é fruto de uma sucessão de experiências estressantes acompanhadas por uma fragilidade do mecanismo de proteção. A etiologia das diferentes Síndromes chinesas, nos mostra uma grande relação da insônia e do estresse com os respectivos Órgãos (Zang): Coração (Xin); Rim (Shen); Baço (Pi); Fígado (Gan).

Arai (2013) fala que o sono para a MTC depende do estado do Sangue e do Yin, especialmente do Coração e do Fígado, embora o Sangue e o Yin dos outros órgãos também influenciem no sono e que a insônia é causada pela incapacidade de adormecer com facilidade, acordar durante a noite, sono inquieto, acordar muito cedo e apresentar um sono perturbador pela presença de sonhos. Os pontos que estimulam a mente devem ser sempre considerados nesses pacientes.

Ross (2003); Filho e Prado (2007) consideram as causas principais da insônia a tensão nervosa, ansiedade, preocupação e projeção das situações estressantes do dia a dia para o mundo do sono, depressão. Citam síndromes relacionadas a insônia, tais como: Fogo no coração e deficiência do Yin do coração e dos rins; Fogo no fígado e hiperatividade do Yang do fígado; Fogo no estômago; Estagnação do QI do coração e Fleuma no coração; Estagnação do QI do fígado; Estagnação do QI do pulmão; Deficiência do sangue do coração e do baço; Deficiência do QI do Rim e da vesícula biliar.

 

Tratamento da Insônia com Acupuntura

Lima, Lippi e Sakellarios (2015) fizeram um estudo de caso com paciente do sexo masculino com idade 49 anos que classifica seu sono como ruim, explica que durante o dia tem dificuldade de ficar acordado e a noite demora para dormir, e quando adormece acorda para urinar, relata ter espasmos noturno e roncos. Foram utilizadas agulhas descartáveis 0,25 mm e um comprimento de 50 mm. Foram realizadas 10 sessões, as sessões foram feitas 2 vezes por semana. Pontos Utilizados: PC6, P1, P7, P6, F2, F3, F14, R6, R7, C7, VC4, VC14, VC15, VG19, VG20 e BP6. Resultado: evolução positiva fazendo com que o paciente conseguisse dormir várias noites sem acordar, podendo-se dizer que a qualidade do sono e do aproveitamento do seu dia fosse muito melhor, com melhora no ânimo do paciente, fazendo com que a qualidade de vida dele melhorasse.

FOCKS (2005) indicada os seguintes pontos para tratar a insônia: A) Vento do Interior; B) Portões da Consciência; C) Pilar Celestial e D) Diafragma Vital.

 

Auteroche e Navailh (1992) sugerem para tratamento os pontos:

–  B15, para fortalecer a energia do baço e coração.

– C7, para insônia.

 

Caridad e Izzo (2010) fizeram uma pesquisa com 11 pacientes com queixa de insônia, onde foi aplicado anamnese e depois um questionário: Questionário 1 – Pré Tratamento. A seguir os pacientes foram submetidos ao exame físico (observação de língua e pulsologia) e ao tratamento com acupuntura, realizado em dez sessões (uma vez por semana), constituído por um protocolo de pontos de acupuntura elaborado pelas autoras e auriculoterapia. Ao final do tratamento aplicou-se o questionário de reavaliação (Questionário 2 – Pós Tratamento). Todos os pacientes concluíram o tratamento. Resultado: Observou-se que todos os pacientes apresentaram melhora na qualidade de sono, dormindo por períodos mais prolongados, adormecendo rapidamente e despertando menos vezes por noite, acordando mais dispostos e menos irritados. Além disso, todos os pacientes disseram não ter mais nenhum tipo de agitação enquanto dormiam e foi observada melhora em relação a sonhos ou pesadelos excessivos, em que 72,7% dos pacientes relataram não apresentar nenhuma das duas condições durante o período de sono, 63,6% dos participantes relatou não ter mais dificuldades em manter-se acordados durante o dia, 81,8% relatou não estar mais sentindo interferência quanto à falta de concentração e 90,9% dos participantes disse ter sentido melhora em relação ao rendimento no trabalho e todos estes disseram não estar mais apresentando mudanças de humor repentinas, como antes. O tratamento de acupuntura trouxe benefícios na qualidade de vida dos pacientes, baseado no questionário de reavaliação elaborado pelas autoras.

Jesus (2013) utilizou os seguintes pontos para tratar a insônia associada ao estresse:

– C7, R3, B15, F3, R6, B62, E PONTOS EXTRAS:

YINTANG–  Elimina as Energias Perversas Vento e Calor. Acalma o Shen e clareia a mente combinado com C-7, BP-6, N-CP-54.
– M-CP-13 (YIMING) acalma o Shen utilizado combinado com Yintang, CS-6, C-7, BP-6, N-CP-54.
– N-CP-54  tratamento da insônia e de distúrbios do sono, utilizado combinado com CS-6, BP-6, Yintang, C-7

Ross (2003), descreve uma combinação de pontos de acupuntura relacionado com as Síndromes da Insônia.

 

Síndromes Sinais e Sintomas Combinação de Pontos
Fogo no coração e deficiência do Yin do coração e dos rins Insônia com ansiedade, inquietação, sensação de calor no peito e na face, suores noturnos, talvez palpitações VG20, VC17, C8, R1, C3, R6, BP6
Fogo no fígado-Vesícula biliar e hiperatividade do Yang do fígado; Insônia com irritabilidade, inquietação, sensação de calor na cabeça, talvez dor de cabeça. VG20, C7, VB12, VB44, F2, R1, R6, BP6.
Fogo no estômago e Estagnação do QI do estômago Insônia com intensa preocupação e congestionamento mental, talvez gastrite com sensação de queimação. VC12, PC3, PC6, BP1, E40, E44, C6, BP6.
Estagnação do QI do coração e Fleuma no coração Insônia com melancolia e depressão, talvez sensação de plenitude no peito, talvez confusão mental. VG20, VC12, VC17, PC6, C5, BP4, E40.
Estagnação do QI do pulmão Insônia após mágoa ou consternação pela perda de uma pessoa querida, talvez sensação de plenitude no peito, talvez choro VC17, VC22, P1, P6, P7, E40.
Estagnação do QI do fígado Insônia com depressão, frustração, mágoa reprimida, talvez indigestão e tensão muscular. VC17, VC6, PC6, C6, F1, F3, F14.
Deficiência do sangue do coração e do baço Insônia com preocupação, cansaço, talvez tontura, palpitações, memória fraca, que piora com excesso de estudo. Yintang, C7, BP36, BP6, BP10, VG20, VC14, PC6, BP4, VC4, E36
Deficiência do QI do rim e do fígado-Vesícula biliar. Insônia com sobressaltos, timidez, terror noturno, talvez ranger de dentes durante o sono, talvez tensão muscular. VG20, C7, VB12, VB13, VB40, R3, R7, VG4, VB12, B18, B23.
Deficiência do QI do rim e da bexiga Insônia com preocupação, medo, pavor, ansiedade, desorientação, talvez dor de cabeça, torcicolo e rigidez dos músculos do ombro. VG16, VG20, ID3, C6, B10, B62, R6.

Fonte: Ross, J. Combinações dos pontos de acupuntura: a chave para o êxito clínico, 2003.

 

Considerações finais

Há inúmeras maneiras de se combinar os pontos de Acupuntura para um tratamento eficaz. As funções energéticas de cada ponto são guia para uma decisão adequada do tratamento da insônia.

No estudo apresentado, pode-se concluir que a acupuntura associada a outras técnicas alternativas ou não é muito eficaz no tratamento das síndromes da insônia.

Os resultados observados nesta revisão de literatura sugerem que a acupuntura e suas variantes (principalmente acupuntura auricular) têm a capacidade de oferecer excelentes resultados no tratamento de pacientes portadores de insônia. No entanto, estudos devem ser realizados para determinar melhor a eficácia da acupuntura no tratamento da insônia.

 

Referências

ARAI, K.I. Visão da Insônia pela MTC. Artigo elaborado baseado em partes do Trabalho de Conclusão de Curso,  CETN, 2013.

AUTEROCHE, B., NAVAILH, P. O diagnóstico na medicina chinesa. São Paulo: Andrei, 1992.

CARIDAD, M.L; IZZO, A.P.F Análise Qualitativa do Tratamento de Acupuntura em Pacientes Portadores de Insônia [TCC para especialista em Acupuntura], ao CETN, 2010.

ECKELI, A.L; HADDAD, F; BAGNATO, M.C; TAVARES, S. Conceito e Classificação, in: Insônia – do diagnóstico ao tratamento. III Consenso Brasileiro de Insônia- 1ª ed, São Paulo, p 18, 2013.

FILHO, R.C.S; PRADO, G.F. Os Efeitos da Acupuntura no Tratamento da Insônia: revisão sistemática. Rev Neurocienc;15/3:183–189, 2007.

HORA, F; BRUIM, V.M; MORAES, W.A.S. Diagnóstico do Transtorno da Insônia, in: Insônia – do diagnóstico ao tratamento. III Consenso Brasileiro de Insônia- 1ª ed, São Paulo, p 35, 2013.

JESUS, E.A. Tratamento do Estresse e da Insônia através da Medicina Tradicional Chinesa. Trabalho de Conclusão de Curso apresentado a Libertas – Faculdades Integradas / CETN para Especialista em Acupuntura, São Paulo, 2013.

KUBOTA, A.M.A; SILVA, M.N.R.M.O; MASIOLI, A.B. Aspectos da insônia no adulto e a relação com o desempenho ocupacional. Rev Ter Ocup Univ São Paulo. maio/ago.;25(2):119-25, 2014.

LIMA, F.G; LIPPI, L.F; SAKELLARIOS, O.F. A utilização da acupuntura nos distúrbios do sono. [TCC apresentado ao CETN] especialista em Acupuntura, 2015.

LISBOA, A.R.F; NASCIMENTO, A.P.C.D. Acupuntura no Tratamento da Insônia: Uma revisão bibliográfica. [Monografia] Apresentada à Faculdade de Educação, Ciência e Tecnologia – Unisaúde/ Centro de Estudos Firval – para Especialista em Acupuntura. São José dos Campos, 2014

MACIOCIA, G. Os Fundamentos da Medicina Chinesa: Um Texto Abrangente para Acupunturista e Fitoterapeutas. São Paulo: Roca, 2007.

MARTINEZ, D. Insônia na Prática Clínica. ARTMED, Porto Alegre, p 15; 28; 39; 2009.

MIN, L.S. Medicina tradicional chinesa e Acupuntura. ComCiência, Campinas, v. 2, n. 109, p. 1-4, 2009.

NEVES, G.S.M; GIORELLI, A.S; FLORIDO, P; GOMES, M.M. Transtornos do sono: visão geral. Rev Bras Neurol. 49(2): p 63, 2013

PRADO, G.F; CARVALHO, L.B.C; PRADO, L.B.F. Insônia. Trabalho realizado no Setor Neuro-Sono da Disciplina de Neurologia da UNIFESP, 2012.

RAUSCH, C. Só tem insônia quem quer. São Paulo: Matrix, 120p, 2009.

ROSS, J. Combinações dos pontos de acupuntura: a chave para o êxito clínico. São Paulo: Roca, p 460-461, 2003

WEN, T. S. Acupuntura Clássica Chinesa. São Paulo: Cultrix, p 44, 1985.