TRATAMENTO DA FIBROMIALGIA COM ACUPUNTURA

TRATAMENTO DA FIBROMIALGIA COM ACUPUNTURA
0 17/08/2017

TRATAMENTO DA FIBROMIALGIA COM ACUPUNTURA

Autor: Felícia Adielle Teixeira Cunha de Almeida Nunes

RESUMO

A fibromialgia é uma condição dolorosa musculoesquelética, de origem desconhecida, que se caracteriza por rigidez matinal, dor difusa e múltiplos pontos específicos e dolorosos à palpação.  Estar associada a outras condições clínicas como fadiga, ansiedade, distúrbios do sono, depressão, cefaléia crônica, distúrbios intestinais e incapacidade funcional.      Por causa de sua cronicidade e múltiplos sintomas, é recomendado aos seus portadores o tratamento multidisciplinar, visando à melhora da qualidade de vida. Para a medicina chinesa, o desequilíbrio da interação entre o ser humano e a natureza é a causa das doenças. A acupuntura não trata nenhuma sintomatologia em particular, mas normaliza a homeostase e promove a autocura. Para a elaboração deste artigo optou-se por realizar uma pesquisa exploratória, do tipo levantamento bibliográfico, através de artigos da BVS e obras literárias com o objetivo de verificar as ações de acupuntura no tratamento da fibromialgia.  Concluiu-se que a acupuntura é eficaz na diminuição dos sintomas da patologia e pode ser uma excelente opção de tratamento coadjuvante, auxiliando o tratamento padrão mundialmente reconhecido, pois oferece melhora da dor, do sono e do controle emocional, além de aumento na qualidade de vida dos pacientes.

 Palavras-chave: Fibromialgia, Tratamento, Acupuntura.    

  ABSTRACTFibromyalgia is a musculoskeletal pain condition of unknown origin that is characterized by morning stiffness, diffuse pain and multiple specific points and painful on palpation. It is associated with other clinical conditions such as fatigue, anxiety, sleep disorders, depression, chronic headache, bowel disorders and functional disability. Because of its chronicity and multiple symptoms, it is recommended to those who have the multidisciplinary treatment aimed at improving quality of life. In Chinese medicine, the imbalance of the interaction between man and nature is the cause of disease. Acupuncture does not address any particular symptoms, but normalizes homeostasis and promotes self-healing. For the writing of this article it was decided to conduct an exploratory research, bibliographic survey type, using the BVS articles and literary works in order to verify the acupuncture actions in the treatment of fibromyalgia. It was concluded that acupuncture is effective in reducing the disease symptoms and can be an excellent adjunctive treatment option, helping the standard treatment recognized worldwide as it offers pain relief, sleep and emotional control, and increase in quality life of patients.

 Keywords: fibromyalgia, Treatment, Acupuncture.

  1. INTRODUÇÃO

A fibromialgia é uma síndrome dolorosa musculoesquelética difusa em pelo menos 11 dos 18 tender points, generalizada e crônica, acompanhada de distúrbios do sono, fadiga e cefaléia crônica, rigidez matinal de curta duração, parestesias, sensação de edema, estados depressivos, ansiedade e distúrbios intestinais, como a síndrome do cólon irritável. A etiologia é de ordem desconhecida (TAKIGUCHI, et al. 2008).

 É uma síndrome que tem como complicação: sofrimento e incapacidade nas atividades cotidianas e laborais, logo implica na qualidade de vida dos pacientes e familiares. O tratamento precisa ter um enfoque multidisciplinar visando melhorar a qualidade de vida dos pacientes, haja vista, é um desafio para os profissionais de saúde, onde tem a finalidade de enfatizar o controle da dor, o aumento ou a manutenção da capacidade funcional e a redução de outras manifestações que causem sofrimento a esses pacientes (JACOMINI; SILVA, 2007) (FERREIRA; MATSUTANI; MARQUES, 2005).

Fibromialgia é um distúrbio crônico, a maioria dos pacientes recebe diagnóstico durante a meia idade, normalmente a primeira consulta ao médico se dá vários meses ou anos após o início da sintomatologia, como: dor crônica, rigidez e fadiga, os quais permanecem regularmente estáveis pelos anos seguintes (HOEFLER; DIAS, 2010).

Possivelmente devem existir vários fatores que interagem determinando o aparecimento da doença, como: predisposição pessoal a uma disfunção neuroendócrina, condições externas de estresse, agregação com distúrbio de ansiedade/depressão, estado psicológico que não favorece saber lidar com a dor, descondicionamento aeróbico e distúrbios do sono (HEYMANN, et al. 2010) (SENNA, et al. 2004).

É importante ressaltar segundo Ferreira; Matsutani; Marques (p. 152, 2005) sobre a estatística acerca da fibromialgia:

No Brasil, embora não existam dados epidemiológicos da síndrome na população, estima-se que sejam similares à literatura internacional. Os estudos com grandes amostras populacionais (acima de 160 indivíduos) mostram uma predominância do sexo feminino (99,5%), com média de idade entre 52 e 57 anos.

A terapia medicamentosa inclui antidepressivos, relaxantes musculares, analgésicos e antiinflamatórios. Para Heymann (et al. 2010), há resultados favoráveis dos medicamentos   sobre a melhora da dor, porém, no entanto, a medicação analgésica e anti inflamatória não esteróide tem pouca efetividade, principalmente a longo prazo. Cabe ressaltar que a   cronicidade da patologia tende a levar os pacientes a utilizarem esses medicamentos por boa parte de suas vidas, o que pode trazer prejuízos a seus órgãos ou ao seu metabolismo corporal.

Atendendo a temática deste estudo, a acupuntura vem sendo muito solicitada para o tratamento de síndromes dolorosas, levando à diminuição da dor assim como a um aumento do limiar de dor. Stival (et al. p. 432, 2014) afirmam que:

Os tratamentos disponíveis para essa enfermidade são apenas parcialmente eficazes e concentram-se no alívio dos sintomas, e cura, a exemplo de outras doenças reumáticas, ainda é exclusiva. A acupuntura tem sido aplicada como modalidade terapêutica em uma ampla variedade de condições dolorosas. Seus efeitos neurobiológicos, que interferem sobre os neurotransmissores relacionados à dor e à depressão, qualificam a técnica como adequada para o tratamento da dor crônica.

 Segundo Yamamura (2009) a acupuntura é um método terapêutico chinês que se baseia na estimulação de determinados pontos do corpo com agulhas ou com fogo, para restaurar ou manter a saúde. Essas técnicas têm a finalidade de promover a mobilização, a circulação e o fortalecimento das energias humanas, expulsar as energias perversas que  acometem indivíduos e  restabelecer a circulação do QI nos canais de energia, induzindo o corpo a uma harmonia de energia e matéria.

Ela além de, oferecer alívio da dor, melhora os sintomas de fadiga, ansiedade e depressão, auxiliando no controle emocional do indivíduo possibilitando uma melhora da qualidade de vida, redução da quantidade de medicamentos administrados e diminuição das recidivas de crises álgicas intensas e incapacitantes.

Este trabalho teve como objetivos verificar as ações de acupuntura no tratamento da fibromialgia. Em relação aos procedimentos metodológicos, foi realizada uma pesquisa exploratória, do tipo levantamento bibliográfico, afim de, conhecer e analisar quais contribuições já existentes sobre a temática em questão.

Foi realizado um cuidadoso levantamento da literatura científica disponível na  Biblioteca Virtual de Saúde (BVS) em artigos científicos nacionais das mais importantes revistas científicas indexadas, em sites de confiança como BIREME, SCIELO, MEDLINE e LILACS, através dos descritores: fibromialgia, tratamento ocidental, tratamento oriental e acupuntura. Os critérios de inclusão foram: artigos científicos indexados escritos em   português e nos últimos 10 anos.

As referências encontradas, que não abordavam a visão da acupuntura como tratamento da fibromialgia, mas que mencionavam as características da patologia e seu tratamento na medicina ocidental, e que exploravam os benefícios da acupuntura no tratamento de dores crônicas, não foram descartados, mas aproveitados para enriquecer a revisão da literatura do trabalho. Cabe ressaltar que, foi criada uma conexão entre as obras existentes e os principais pontos de acupuntura referenciados para o tratamento da patologia.

  1. REVISÃO DE LITERATURA

  • FIBROMIALGIA NA MEDICINA OCIDENTAL

 A fibromialgia é uma síndrome não inflamatória que se manifesta principalmente no sistema musculoesquelético através de dor crônica generalizada, associando-se com frequên-cia a outros sintomas, como fadiga, sono não reparador e alterações do humor. A dor rotineiramente demonstra exacerbação após as atividades diária, a exposição ao frio e à umidade (STIVAL, 2014).

É uma doença reumatológica, que causa dor crônica, sensibilização central, que resulta em hipersensibilidade da pele e tecidos mais profundos, assim como em fadiga (HEYMANN, et al. 2010).

De acordo com Helfenstein Junior; Goldenfum; Siena (p. 359, 2012):

A denominação fibromialgia, palavra derivada do latim fibro (tecido fibroso, presente em ligamentos, tendões e fáscias), e do grego mio (tecido muscular), algos (dor) e ia (condição), foi proposta inicialmente por Yunus e cols. em 1981, com o intuito de substituir o termo fibrosite, até então utilizado para denominar um tipo particular de reumatismo caracterizado pela presença de pontos musculares dolorosos à palpação, a partir do entendimento de que não havia, nestes adoecimentos, inflamação tecidual.

 A fibromialgia é uma síndrome caracterizada por dor musculoesquelética generalizada com sintomas associados, incluindo rigidez, fadiga, distúrbios do sono e transtorno funcional, incluem também, dor generalizada, envolvendo os quatro membros e tronco, e dor à palpação em pelo menos onze dos dezoito pontos sensíveis característicos da síndrome, também comumente denominados tender points (BARBOSA, et al. 2013).

Os tender points, são classificados como: subocciptal (na inserção do músculo subocciptal); Cervical baixo (atrás do terço inferior do esternocleidomastoideo, no ligamento intertransverso C5-C6); Trapézio (ponto médio do bordo superior, numa parte firme do músculo); Supraespinhoso (acima da escápula, próximo à borda medial, na origem do músculo supraespinhoso); Segunda junção costocondral (lateral à junção, na origem do músculo grande peitoral); Epicôndilo lateral (2 a 5 cm de distância do epicôndilo lateral); Glúteo médio (na parte média do quadrante súpero-externo na porção anterior do músculo glúteo médio); Trocantérico (posterior à proeminência do grande trocanter) e joelho (no coxim gorduroso, pouco acima da linha média do joelho).

2.2.2. ETIOLOGIA E PATOGÊNESE

 De acordo com Ferreira; Matsutani; Marques (2005) afirmam que a interação entre fatores ambientais e sistêmicos, possivelmente causam alteração da função do SNC (Sistema Nervoso Central) e da produção de neurotransmissores, que levariam à diminuição do limiar da dor em indivíduos geneticamente predispostos, além de alteração de sono e fadiga. A presença de alterações metabólicas reduzem o fluxo de sangue e o nível de oxigênio disponível para as fibras e o metabolismo celular.

A vasoconstrição ocorre na pele sob os tender points, levando a hipóxia local. Existem atualmente 3 hipóteses que esclarecem o mecanismo fisiopatológico da fibromialgia:

  • Alteração nos níveis de neurotransmissores: neste caso é a seretonina, devido a sua funcionalidade no estímulo doloroso. Um neurotransmissor inibitório da liberação de substância P pelos neurônios aferentes, quando acontece um estímulo nociceptivo periférico. A substância P é um neurotransmissor sensitivo que medeia à dor, o tato e a temperatura é influenciada pela deficiência de serotonina, no SNC ou Sistema Nervoso Periférico (SNP). Os indivíduos acometidos por fibromialgia apresentam uma redução sanguínea nos níveis de serotonina e seus precursores (triptofano) e metabólicos que resultam a dor crônica.
  • Diminuição de fluxo sanguíneo cerebral: ocorre redução do fluxo sanguíneo cerebral no tálamo e no núcleo caudado, produz resposta anormal aos estímulos nociceptivos, como a hipersensibilidade a estímulos mecânicos, térmicos e químicos.
  • Distúrbio funcional do sistema neuroendócrino: contribui para o surgimento dos sintomas da fibromialgia (dor, fadiga, alterações do sono e distúrbios psicológicos). O sistema neuroendócrino é o responsável pela comunicação do SNC com os outros sistemas corporais através da integração de sinais do córtex cerebral e da periferia pelo hipotálamo, que excretam hormônios para glândula hipófise, que por sua vez originam efeitos diretos sobre os demais tecidos corporais. Esse distúrbio funcional provoca uma perturbação da resposta ao estresse normal. O eixo hipotálamo-hipófise-adrenal são responsáveis pela coordenação das respostas fisiológicas ao estresse mental ou físico. No caso desta patologia, ocorre uma disfunção desse eixo e deficiência da função do hormônio de liberação da corticotropina, produzida no hipotálamo.

 Helfenstein Junior; Goldenfum; Siena (p. 360, 2012):

Tem sido aceito um modelo de fisiopatologia, que integra muitas das idéias publicadas e que sugere que o distúrbio primário na FM seria uma alteração em algum mecanismo central de controle da dor, o qual poderia resultar de uma disfunção de neurotransmissores. Tal disfunção neuro-hormonal incluiria uma deficiência de neurotransmissores inibitórios em níveis espinhais ou supraespinhais (serotonina, encefalina, norepinefrina e outros), ou uma hiperatividade de neurotransmissores excitatórios (substância P, glutamato, bradicinina e outros peptídeos). Possivelmente, ainda, ambas as condições poderiam estar presentes. Tais disfunções poderiam ser geneticamente predeterminadas e desencadeadas por algum estresse não

específico como, por exemplo, uma infecção viral, estresse psicológico ou trauma físico.

 

  

2.1.3. MANIFESTAÇÃO CLÍNICA

De acordo com Martinez (et al. 2009) indivíduos com fibromialgia possuem alteração no processamento da dor que induz a um aumento da percepção dolorosa, pois as   respostas alteradas a um estresse biológico são componentes centrais do mecanismo da doença. Também ocorre, uma dor muscular generalizada com maior intensidade em algumas áreas, na maioria dos casos é o principal sintoma. Existem 2 dores nessa situação: a alodínea (dor resultante de estímulo que não seria normalmente doloroso) e a disestesia (sensação desagradável, que varia desde amortecimento até agulhadas, sentida nas extremidades).

A presença dos pontos dolorosos é o achado primordial do exame físico, não se observando edema ou sinovite, a não ser na concomitância de patologias como a osteoartrite ou artrite reumatoide.

 

 

2.1.4. TRATAMENTO OCIDENTAL

 Não existem exames laboratoriais ou de imagens que atestem o diagnóstico da fibromialgia. O diagnóstico é realizado com base nas queixas de dor difusa e constante na presença de pontos específicos e bilaterais dolorosos à palpação, os chamados tender points, e na associação com distúrbios psicoemocionais e de natureza funcional (MARQUES, et al. 2006).

 O tratamento tem como objetivos o alívio da dor, a melhora da qualidade do sono, a manutenção ou o restabelecimento do equilíbrio emocional, a melhora do condicionamento físico e da fadiga e o tratamento específico de desordens associadas (SOCIEDADE BRASILEIRA DE REUMATOLOGIA, 2004).

Para Hoefler; Dias (p. 2, 2010)Não existe tratamento que aborde todos os sintomas. É importante reconhecer a existência da dor, mesmo que sua causa seja obscura e as opções de tratamento sejam limitadas”.

É fundamental educar o paciente, no sentido de discutir realisticamente o diagnóstico e o prognóstico, explicar que a doença é comum, com um diagnóstico clínico, sem alterações laboratoriais e que não altera a sobrevida e nem é deformante.

A terapia medicamentosa inclui antidepressivos, relaxantes musculares, analgésicos e anti inflamatórios, bem como, antidepressivos e os relaxantes musculares. As baixas doses, os antidepressivos tricíclicos podem melhorar o sono, a fadiga ao acordar e diminuir, em 20 ou 30%, o número de pontos dolorosos (HOEFLER; DIAS, 2010) (FERREIRA; MATSUTANI; MARQUES, 2005).

Outras modalidades de tratamento tem sido aderidas, tais como: a fisioterapia, acupuntura, laser, estimulação nervosa transcutânea, terapia cognitiva comportamental e infiltração de pontos-gatilho (HEYMANN, et al. 2010).

 

  

2.2.1. FIBROMIALGIA NA MEDICINA ORIENTAL

De acordo com Maciota (p. 900, 2009):

A fibromialgia é uma doença cada vez mais reconhecida de dor crônica, caracterizada como dor musculoesquelética espalhada, dor e rigidez, sensibilidade nos tecidos moles, fadiga geral e distúrbios do sono. Os locais mais comuns de dor incluem pescoço, costas, ombros, cintura pélvica e membros, mas qualquer parte do corpo pode estar envolvida. Os pacientes que sofrem de fibromialgia experimentam uma gama de sintomas de intensidade variadas, os quais aumentam e diminuem com o tempo.

Para Freitas Filho; Silva; Silva (2004) dentro do contexto da filosofia da medicina chinesa, a fibromialgia pode ser explicada por 2 teorias: a dos cinco elementos e dos ZANG e FU (órgãos YIN e YANG), quanto pela teoria dos meridianos.

Segundo a teoria dos cinco elementos, o indivíduo com fibromialgia apresentam transtornos energético:

  • Fígado, baço-pâncreas e rim: ocorre excesso de QI no fígado (sendo que a Madeira, nutre os ligamentos, nervos, cápsulas articulares e tendões. O excesso de energia do fígado acarreta na manifestação dos distúrbios do sono, que associa aos sintomas de dor crônica no sistema musculoesquelético); deficiência de QI no baço-pâncreas (a Terra, nutre o ventre muscular) e no rim (a Água armazena o QI genuíno, que forma os ossos e medulas).
  • Teoria dos meridianos: ocorre o comprometimento energético do meridiano extraordinário YANG QIAO MAI, com excesso de energia YANG, que leva ao aparecimento dos sintomas típicos de fibromialgia, como sono não reparador, dores difusas musculoesqueléticas e ansiedade. Já o déficit de energia YIN no meridiano YIN QIAO MAI leva ao aparecimento de sintomas como desânimo, fadiga e dor crônica que piora com o frio.

2.2.2. ETILOGIA, MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS E PATOGÊNESE

Segundo Maciocia (2009) os principais fatores etiológicos são: invasão de fatores patogênicos externos (umidade, vento, frio), tensão emocional, dieta irregular e trabalho físico excessivo.

  • Umidade deriva da exposição ao clima ou ambiente úmido, é ardilosa e vai adentrando pelas pernas e atingindo a parte superior do corpo. Ocorre no espaço entre pele e músculos, causando dor muscular generalizada e sensação de peso nos membros, na cabeça causa cefaléia do tipo surda, dor facial, memória debilitada, dificuldade de concentração e sensação de entorpecimento da cabeça.
  • O vento também invade o espaço COU LI e músculos, provocando contração e uma dor variada, que muda de local de um dia para o outro. Causa dor de garganta e pulso flutuante.
  • O frio invade os músculos e o espaço entre a pele e músculos, originando contração e uma dor mais intensa que o da umidade.
  • Tensão emocional: raiva, culpa, vergonha, medo, preocupação, tristeza ou pesar que leva à estagnação do QI, compromete os músculos dos ombros e do pescoço, colaborando para a dor muscular.
  • Comer irregularmente: com pressa, enquanto está trabalhando, tarde da noite, pular refeições, consumir excessivamente alimentos gordurosos, frituras e laticínios, pode gerar a umidade, o principal fator patogênico na fibromialgia.
  • Trabalho físico excessivo: enfraquece baço, fígado e rim, ocorre deficiência do

O diagnóstico é realizado através da história, palpação e exame físico típico da medicina chinesa, onde há 3 diagnósticos energéticos que acometem o indivíduo:  deficiência de QI e sangue, estagnação de QI e sangue e estagnação do QI do fígado (BARBOSA, et al. 2013).

Para Maciocia (2009) e (Yamamura, 2009) o diagnóstico se dá pela deficiência primária do baço-pâncreas (BP) e do rim (R), pelo trabalho físico excessivo  que enfraquece o BP, o fígado (F) e o R, provocando deficiência do YANG, espaço entre pele e músculos (COU LI), os canais de conexão (LUO) e os canais musculares (JING JIN).

  • O COU LI inclui dois aspectos: COU são os “espaços” no corpo com espaços do triplo aquecedor, dos quais o espaço entre pele e músculos é um deles; LI são os “padrões” ou “grãos” da pele, carne e órgãos internos. São os tecidos conectivos do corpo, os quais pertencem às membranas HUANG. No espaço COU ocorre a circulação do QI defensivo, a formação do suor e a regulação dos poros da pele. Quando este espaço está em condições de normalidade, o QI defensivo se difunde, protegendo o corpo dos ataques de fatores patogênicos externos e os poros da pele, regulados, abrem ou fecham nos momentos certos. É este local que a umidade se acumula, causando dor muscular, sensação de peso em membros e fadiga. Além disso, ela também pode se localizar na cabeça, causando cefaleia do tipo surda.
  • Os canais de conexão (LUO) são chamados de LUO MAI, onde LUO significa “rede”. Isso porque os canais de conexão podem ser comparados a uma rede de canais que fluem em todas as direções, possibilitando um fluxo horizontal de QI. Preenchem a superfície e o espaço entre pele e músculos, protegendo o corpo da invasão de fatores patogênicos externos, esses canais a serem invadidos pelos fatores patogênicos, causam dor muscular e sensação de peso nos membros.
  • Os canais musculares (JING JIN): são canais secundários que estão na superfície do corpo. Apresentam caráter YANG, e se localizam entre tendões, músculos, articulações e pele. Não apresentam ligação energética direta com os ZANG FU, pois se ramificam nos membros, tórax, dorso e cabeça, mas não se interiorizam. Os trajetos dos canais são mais superficiais que profundos, passando por locais que não são supridos energeticamente pelos canais LUO. Tais canais têm a função de movimentar os músculos e as articulações, possibilitando-lhes a extensão e a flexão, assim como de promover a defesa do organismo, pois nesses canais circula o WEI QI, a energia de defesa.

Patologicamente, os canais musculares podem desenvolver condições de excesso ou deficiência, com sintomas distintos. Nas condições de excesso, ocorre dor mas intensa, pulso fica cheio e a língua com revestimento espesso.

  • Umidade: causa dor muscular generalizada, sensação de peso nos membros, cefaleia do tipo surda, memória debilitada, sensação de entorpecimento na cabeça. É um fator patogênico YIN e tende a consumir o YANG.
  • Estagnação do QI: causa dor muscular e articular, o paciente pode sofrer intestino irritável com distensão abdominal. Se o QI permanecer estagnado por longos períodos, afetará os canais de conexão profundos e, consequentemente, o sangue ficará estagnado.
  • Estagnação de sangue: ocorre em casos crônicos de longa duração. Estagnação do QI de longa permanência e afeta os canais de conexão (LUO) profundos de sangue. Causa dor intensa do tipo punhalada nos músculos e nas articulações.

Nas condições de deficiência:

  • Deficiência do QI do baço ou do YANG do baço: o paciente sente cansaço e sofre de problemas digestivos, distensão abdominal, fezes amolecidas e pouco apetite.
  • Deficiência do YANG do baço e do rim: ocorre em casos mais avançados da fibromialgia, os sintomas são: cansaço, vontade de se deitar, sensação de frio, membros frios, dor na região dorsal, inferior, micção frequente, tontura e tinido.
  • Deficiência do sangue do fígado: ocorre mais em mulheres devido ao fígado controlar os tendões e a deficiência de sangue do fígado frequentemente permite a umidade e outros fatores patogênicos se estabelecem nos tendões. As manifestações clínicas são: menstruação escassas, visão turva, tontura, adormecido e/ou formigamento dos membros, cabelo seco e língua pálida.
  • Deficiência do YIN do fígado e do rim: ocorre apenas em casos crônicos avançados. As manifestações clínicas são: menstruação escassa, visão turva, olhos secos, flutuadores no campo visual, tontura e adormecimento e/ou formigamento dos membros, cabelo seco, tinido, sensação de calor e sudorese noturna.

 

  

2.2.4. TRATAMENTO ORIENTAL PELA ACUPUNTURA

  A acupuntura tem sido aplicada como modalidade terapêutica em uma ampla variedade de condições dolorosas. Seus efeitos neurobiológicos, que interferem sobre os neurotransmissores relacionados à dor e à depressão, qualificam a técnica como adequada para o tratamento da dor crônica. Promovem mudanças fisiológicas no organismo, como mudanças na pressão sanguínea, alterações nas atividades elétricas cerebrais e no tálamo.  Estimula a liberação de endorfinas e encefalinas, o que leva a uma resposta moduladora da dor, resultando em analgesia, bloqueia a aferência dolorosa por dois mecanismos: o primeiro por inibição da atividade de neurônios transmissores da dor em nível medular; segundo por inibição da aferência nociceptiva por meio da ativação de sistemas supressores de dor segmentares e supras segmentares (STIVAL, et al. 2014).

 Os autores supra citados, sugerem como sítios para o tratamento foram os pontos do intestino grosso, estômago, fígado, baço, pericárdio e coração bilateralmente. Também, nos tender points da base do occipital, trapézio, supraespinhoso e epicôndilo lateral.

 

 

Segue a tabela com os pontos utilizados no tratamento da fibromialgia e sua atuação:

LOCAL PONTOS LOCAIS PONTOS ADJACENTES
Pescoço B-10 (TIANZHU)– acalma e fortalece o SHEN, desperta os sentidos, dispersa o vento frio e o calor. Atua na dor de cabeça, torcicolo, rigidez e dor na nuca, tontura e vertigem.

VB- 20 (FENGCHI)– extingue o vento interno, elimina o vento externo, pacífica o YANG do F, resolve o calor e o fogo, beneficia os olhos e ouvidos, relaxa a tensão e os tendões, circula o QI e XUE do F, tranquiliza o SHEN e nutre a medula. Atua na vertigem, zumbido, convulsão, resfriado, ansiedade, hipertensão,   dentre outros.

VB-21 (JIANJING)- pacifica o YANG do F, relaxa os tendões, desobstrui o canal, beneficia as mamas e regula o útero. Atua na cefaleia, hipertensão, lactação, torcicolo, mastite, dentre outros.

DU-14 (DAZHUI)– faz transitar as energias perversas nos três canais  YANG do corpo, exterioriza o calor,

faz circular o YANG QI do corpo,

fortalece o WEI QI, acalma o SHEN,    clareia a mente dispersa o vento e o vento-calor faz a limpeza do fogo e do calor-perverso. Atua na febre, desmaio pelo calor, esquizofrenia, bronquite, contratura muscular da coluna cervical, dentre outros.

B-11 (DASHU)– beneficia os ossos, expele o vento (frio+calor), nutre o XUE e tonifica o WEI QI e o YING QI. Atua em distúrbios ósseos, resfriados, febre, dispnéia, tontura, visão borrada e rigidez.

Ombro IG-15 (JIANYU)– remove obstrução do canal e expele o vento e umidade. Atua dor, fraqueza, paralisia e urticária.

TA-14 (JIANLIAO, JIANNEILING) (ponto extra)- expele o vento, elimina o frio, fortalece o QI e o sangue,  promove a circulação do sangue, dispersa o vento e a umidade e alivia a dor. Atua: dor e limitação do ombro, dentre outros.

 

 

ID-9 (JIANZHEN)– desobstrui o canal e beneficia o ombro. Atua  todos os distúrbios do ombro e  transpiração axilar excessiva.

ID-10 (NAOSHU)– desobstrui o canal e beneficia o ombro. Trata todos os distúrbios do ombro e dor escapular, dentre outros.

ID-11 (TIANZONG)- desobstrui o canal e beneficia o tórax. Atua nos distúrbios do ombro e escápula, dor e plenitude torácica, mastite, soluço,     dentre outros.

ID-12 (BINGFENG)– desobstrui o canal e expele o vento alojado. Atua na afecção, pescoço e região escapular, dores no membro inferior, dentre outros.

ID-13 (QUYUAN)- desobstrui o canal. Atua nas afecções do ombro, pescoço, dentre outros.

ID-14 (JIANWAISHU)- desobstrui o canal. Atua nas afecções do ombro, pescoço, dentre outros.

ID-15 (JIANZHONGSHU)– desobstrui o canal. Atua nas afecções do ombro, pescoço, bronquite, dentre outros.

TA-15 (TIANLIAO)– remove obstrução do canal, abre o tórax e clareia calor. Atua na dor e rigidez no braço, pescoço, dentre outros.

VB-21 (JIANJING)– relaxa tendões, promove parto, estimula a descida do QI. Atua na rigidez e dor no pescoço e região superior dos ombros, promove lactação, dentre outros.

IG-14 (BIANO)– relaxa os tendões, beneficiam os olhos e membros, dispersa vento-calor, remove obstrução dos canais e colaterais remove estagnação de QI e (XUE), resolve a fleuma, dissipa o QI. Atua na dor, edema e paralisia no ombro, braços, doenças oftalmológicas, tuberculose pulmonar, dentre outros.

TA-13 (NAOHUI)- remove fleuma e obstrução do canal. Atua no bócio, dor no braço e ombro, dentre outros.

Cotovelo IG- 11 (QUCHI)– clareia o calor, esfria o sangue, remove obstrução e remove calor no canal. Atua no calor interno, fogo no fígado, febre, sede, dor de dente, vômito, dentre outros.

TA-10 (TIANJING)– resolve fleuma, dissipa nódulos, controla a rebelião do QI, acalma o SHEN.     Atua na escrófula, amigdalite, dor no tórax e lateral das costal, comportamento maníaco, dentre outros.

ID-08 (XIAOHAI)– resolve umidade-calor, remove obstrução no canal. Atua no inchaço do pescoço, bochechas e gengivas, olhos amarelos, inchaço de linfonodos, dentre outros.

IG-13 (SHOWULI)– relaxa os tendões, remove a fleuma, remove a estagnação do QI e sangue (XUE). Atua na dor, espasmo, contratura do cotovelo, artrite reumatoide, pneumonia, dentre outros.

IG-10 (SHOUSANLI)- harmoniza o QI dos intestinos e estômago. Promove o fluxo do QI nos canais de conexão (LUO). Dispersa vento perverso. Analgesia. Tonifica QI e XUE. Atua na dor, paralisia, fraqueza, parestesia, formigamento, desequilíbrio motor nos membros superiores, má digestão, sequelas de AVC, dentre outros.

IG-14 (BIANO)- relaxa os tendões, beneficia os olhos e membros, dispersa vento-calor, remove obstrução dos canais e colaterais remove estagnação de QI  e (XUE), resolve a fleuma, dissipa o QI. Atua na dor, edema e paralisia no ombro, braços, costa, tuberculose pulmonar, dentre outros.

Punho TA-4 (YANGHI)– promove a transformação dos fluidos, beneficia o QI original, tonifica o CHONG MAI e REN MAR, regula o SHAO YANG, remove o canal de obstrução. Atua na dor no punho, pescoço, surdez, edema nas pernas, fadiga, fraqueza, dentre outros.

IG- 5 (YANGXI)– expele vento, libera o exterior, interrompe a dor, analgesia, clareia o calor e acalma e abre os orifícios da  SHEN . Atua na aversão ao frio, febre, dor no punho e mão, comportamento maníaco, riso impróprio, hemorragia nasal, dentre outros.

 ID-5 (YANGGU)– clareia calor, acalma o SHEN, beneficia olhos, remove umidade nos joelhos. Atua no comportamento maníaco, tinido, surdez, dentre outros.   

ID- 4 (WANGU)– remove obstrução do canal, resolve umidade-calor. Atua na contração dos dedos, ombros e braços, rigidez cervical, dor na cabeça, colecistite, dentre outros.

 PC-7 (DALING)- acalma e abre os orifícios da mente, clareia calor, harmoniza o estômago. Atua no eczema das mãos, comportamento maníaco, furúnculo, dentre outros.

TA-5 (WAIGUAN)- expele vento-calor, clareia calor da cabeça, controla YANG do fígado, remove obstrução do canal. Atua na aversão ao frio, irritabilidade, visão turva, rigidez de língua, caxumba, paralisia nos braços, dentre outros.

P-7 (LIEQUE)– circula a WEI QI (defensivo) e libera o exterior, promove a descida e dispersão do QI do pulmão, expele vento exterior. Abre a vias das águas, benéfica a bexiga, regula subida e descida do QI na cabeça. Resolve fleuma. Atua na   respiração difícil, aversão ao frio, perda de olfato, dor de dente, palpitações, dentre outros.

Dedos das mãos TA-3 (ZHONGZHU)- clareia calor na cabeça, regula o SHAO YANG, remove obstrução no canal, controla o YANG do fígado. Atua na dor e vermelhidão nos olhos, malária, incapacidade de dobrar ou estender os dedos, dentre outros.

IG-3 (SANJIAN)– expele vento exterior, ilumina os olhos, benéfica a garganta, expele o vento e o frio do canal. Atua na aversão ao frio, espirro, dor aguda nos olhos, diarreia de frio e umidade, dentre outros.

EX15-BAXIE (pontos extras)– relaxa os tendões do punho, mãos e dedos, expele vento-umidade. Atua na rigidez, inchaço e espasmo dos dedos, dentre outros.

TA-5 (WAIGUAN)- expele vento-calor, clareia calor da cabeça, controla Yang do fígado, remove obstrução do canal. Atua na dor na garganta, aversão ao frio, irritabilidade, visão turva, rigidez de língua, caxumba, dentre outros.

 

 

Região dorsal inferior B-23 (SHENSHU)- tonifica o QI, YANG, YIN do rim, nutre o JING do rim, fortalece a lombar, beneficia ossos e medula, resolve umidade, tonifica útero, REN, MAI, DU MAI e CHONG MAI. Atua no cansaço, depressão, falta de libido, ejaculação precoce,   lombalgia, dentre outros.

B-26 (GUANYUANSHU)– fortalece a lombar, movimenta o QI e o sangue no aquecedor inferior. Atua na lombalgia, ciatalgia, dor na lombar e nádegas, enurese, dentre outros.

B-25 (DACHANGSHU)– tonifica o intestino grosso, fortalece a lombar. Atua no borborigmo,   prolapso do reto, lombalgia, dentre outros.

B-24 (QIHAISHU)– fortalecer a lombar, regula a menstruação, tonifica o XUE. Atua lombalgia, síndrome Bi nas pernas, hemorroidas, dentre outros.   

SHIQIZHUIXIA (ponto extra)- fortalece a lombar regula a menstruação, tonifica o sangue. Atua na lombalgia, síndrome Bi nas pernas, menstruação irregular, dentre outras.

DU-3 (YAOYANGGUAN)– harmoniza, regula, fortalece e mantém o QI do rim, tonifica o YANG, e elimina umidade e vento patogênico. Atua no fortalecimento das pernas, dentre outros.

 Nenhum ponto adjacente.
Sacro B-32 (CILIAO)- beneficia a micção e defecação, regula a menstruação, remove umidade no aquecedor inferior e tonifica a essência (JING)- dificuldade para urinar, constipação, borborismo, infertilidade, dentre outros.

SHIQIZHUIXIA- beneficia a micção e defecção, regula a menstruação, remove umidade no aquecedor inferior, tonifica a essência (JING). Atua na dificuldade para urinar, enurese, dor e entorpecimento na região lombar e sacral, dentre outros.

B-27 (XIAOCHANGSHU)- tonifica o intestino delgado, resolve umidade e beneficia a micção. Atua na diarreia, sangue e muco nas fezes, dentre outros.   

B-28 (PANGGUANGSHU)– regula a bexiga, resolve umidade no aquecedor inferior, abre a via das águas no aquecedor inferior. Atua no caçulo renal, úlceras e prurido nas genitálias, lombalgia, dentre outros.

B-23 (SHENSHU)– tonifica o QI, YANG, YIN do rim, nutre o JING do rim, fortalece a lombar, beneficia ossos e medula, resolve umidade, tonifica útero, REN, MAI, DU MAI e CHONG MAI. Atua na falta de força de vontade, falta de libido, ejaculação precoce, joelhos fracos, lombalgia, dentre outros.
Quadril VB- 30 (HUANTIAO)– tonifica QI e XUE de todo o corpo, remove obstrução do canal e síndrome de atrofia (síndrome WEI) provocada por umidade ou vento, resolve umidade-calor no aquecedor inferior. Atua na fadiga, falta de apetite, dor e entorpecimento no quadril, nádegas, ciático, hemiplegia, dentre outros.

VB-29 (JULIAO)– remove obstrução do canal. Atua na dor no quadril, região dorsal e lateral das pernas, dentre outros.

VB-31 (FENGSHI)- expele vento, remove obstrução do canal, síndrome de WEI. Atua em doenças de pele causadas por vento externo, herpes zoster, paralisia, atrofia e dor nas pernas.
Joelho EX17- XIYAN (ponto extras)- expele vento-umidade, beneficia os joelhos. Atua na dor, inchaço,    rigidez, entorpecimento do joelho, dentre outros.

E-36 (ZUSANLI)- beneficia estômago e baço, tonifica QI e XUE, regula QI nutritivo e defensivo (WEI QI), aumenta O YANG, expele vento e umidade, recupera YANG. Atua na dor epigástrica, encurtamento da respiração, distúrbio maníaco-depressivo, dor no joelho e perna, dentre outros.

BP-9 (YINLINGQUAN)– regula o baço, resolve umidade, abre a via das águas, beneficia o aquecedor inferior. Atua na distenção abdominal, síndrome Bi na pernas, problemas de próstata, dentre outros.

P-7 (XIGUAN)- circula a WEI QI, e libera o exterior, promove e descida e dispersão do QI do pulmão, expele vento exterior, resolve fleuma. Atua respiração difícil, resfriados, retenção de lóquios e feto morto, dor de dente, dentre outros.

F-8 (QUQUAN)– resolve umidade no aquecedor inferior, revigora e nutri o XUE, beneficia a bexiga e genitais. Atua na infertilidade por estase de XUE,  impotência, dentre outros.

R-10 (YINGU)– resolve umidade no aquecedor inferior, tonifica o YIN do rim. Atua na dor e plenitude epigástrica, dificuldade urinária, dentre outros.

VB 34 (YANGLINGQUAN)- suaviza o fluxo do QI do fígado, resolve ccalor-umidade no fígado e vesícula biliar, beneficia os tendões. Atua na estagnação do QI do fígado, depressão, ciatalgia, síndrome Bi nas pernas, dentre outros.

B-40 (WEIZHONG)- clareia o calor, resolve umidade na bexiga, esfria o XUE e obstrução do canal. Atua na lombalgia, dor no joelho, insolação, dentre outros.

BP-10 (XUECHAI)– esfria, nutre e revigora o XUE, elimina a estase, interrompe sangramento e controla a rebelião do QI. Atua na urticária, herpes-zoster, amenorreia, dentre outros.

BP-10 (XUECHAI)- esfria, nutre e revigora o XUE, elimina a estase, interrompe sangramento e controla a rebelião do QI. Atua na urticária, eczema, herpes-zoster, amenorreia, sangramento uterino, dentre outros.

E-34 (LIANGQIU)– controla rebelião do QI do estômado, remove obstrução do canal, expele umidade e vento. Atua na dor epigástrica, regurgitação ácida, refluxo, síndrome Bi do joelho decorrente de frio, dentre outros.

Tornozelo BP- 5 (SHANGQIU)– fortalece o baço, regula o intestino, resolve a umidade, beneficia os tendões e articulações. Atua na deficiência do baço, cansaço, lassitude, dor e contração dos tendões, síndrome Bi no osso, dentre outros.  

VB-40 (QIUXU)- suaviza o fluxo do QI do fígado, clareia calor na vesícula biliar. Atua na distenção do hipocôndrio, dor de cabeça, depressão, dificuldade de tomar decisões difíceis, dentre outros.

E-41 (JIEXI)– clareia calor, acalma o SHEN, remove obstrução do canal. Atua no inchaço da face, fome com incapacidade de comer, febre, dor na cabeça frontal, inchaço e dor no tornozelo, dentre outros.

B-60 (KUNLUN)– clareia calor, extingue vento inferior, controla a rebelião do QI na cabeça, remove obstrução do canal, revigora o sangue. Atua na dor região posterior da cabeça, sangramento nasal, trismo, trabalho de parto difícil, dentre outros.

R-7 (FULIU)– tonifica o rim, resolve umidade, abre a via das águas no aquecedor inferior e fortalece a lombar. Atua na dor lombar e joelhos  diarreia, sensação de peso no reto, sudorese noturna, dentre outros.

VB-34 (YANGLINGQUAN)– suaviza o fluxo do QI do fígado, resolve calor-umidade no fígado e vesícula biliar, beneficia os tendões. Atua na estagnação do QI do fígado, depressão, ciatalgia, síndrome Bi nas pernas, dentre outros.

E-36 (ZUSANLI)– beneficia estômago e baço, tonifica QI e sangue XUE, tonifica QI nutritivo e defensivo (WEI QI), aumenta o YANG, expele vento e umidade, restaura a consciência. Atua na dor epigástrica, soluço, encurtamento da respiração, gases, dentre outros.

Dedos do pé E-20 BAFENG (pontos extras)- relaxa os tendões, expele vento-umidade e remove obstrução. Atua na dor, inflamação, vermelhidão, rigidez e espasmos no pé, dentre outros.

BP- 3 (TAIBAI)- fortalece o baço, estimula o intelecto (YI), resolve umidade, fortalece os músculos espinhais. Atua na deficiência do baço e cansaço, pouco apetite, atordoamento, fleuma, muco no pulmão, dentre outros.  

BP-4 (GONGSUN)– harmonizar o aquecedor médio, regula intestinos, regula o vaso penetrador (CHONG MAI), acalma e abre os orifícios da   SHEN  e regula a menstruação. Atua na plenitude, distenção e dor epigástrica, borborrigmo, alimento nas fezes, distúrbio maníaco- depressivo, dentre outros,

E-41 (JIEXI)– clareia calor, acalma a    SHEN, remove obstrução do canal. Atua no inchaço da face, sinusite, eructação, constipação, medo, ciatalgia, dentre outros.

VB-34 (YANGLINQUAN)– suaviza o fluxo do QI do fígado, distenção abdominal, epigástrica e do hipocôndrio, depressão, tensão dos tendões, dentre outros.

BP-9 (YINLINGQUAN)– regula baço, resolve umidade, abre a via das águas, beneficia o aquecedor inferior. Atua na distensão e dor abdominal, pouco apetite, edema, dificuldade urinária, dentre outros.

Fonte: Maciocia (p.915, 2009) e TCM points (2016).

Os pontos de acupuntura supra citados, são referentes aos 11 tender points correlacionando a medicina ocidental que Maciocia (2009) também cita em sua obra literária. Ficou também descrito a função desses pontos de acupuntura para outras patologias abordando as sintomatologias.

Barbosa (et al. 2013) sugerem que a fibromialgia de origem YANG, seja tratada pelo sistema YANG QIAO MAI/DU MAI, inserindo-se as agulhas nos pontos B-62 (SHENMAI- regula o Yang Qiao, relaxa os músculos e tendões, tranquiliza o Shen, elimina o vento interno e externo) e ID-3 (HOUXI- regula o VG, desobstrui o canal do ID, expele vento, tranquiliza o Shen, elimina calor, beneficia os tendões), e a fibromiogia de origem YIN, pelo sistema YIN QIAO MAI/REN MAI, agulhando-se os pontos R-6 (ZHAOHAI- regula o yin qiao, nutre o yin do R, resfria o calor e o sangue, tranquiliza o Shen, beneficia a garganta, beneficia os olhos) e P-7 (LIEQUE- abre e regula o VC, harmoniza o pulmão Qi, expele o vento frio ou calor, regula a via das águas, comunica-se com IG). Após a abertura dos canais pelos pontos B-62 ou R-6 (em sedação), deve-se inserir os pontos R-2 (RANGU- elimina o calor-vazio, tonifica o yang do rim com moxa, influencia o yin qiao), R-3 (TAIXI- beneficia o R- Qi, yin, yang e jing, estabiliza a recepção do Qi do P, tranquiliza o Shen, fortalece a lombar e os joelhos), BP-6 (SANYINJIAO- harmoniza o BP, R e F, drena o jiao inferior da umidade, tranquiliza o Shen, regula o útero, para a dor, move, tonifica e ergue o Qi, move, nutre, esfria e retém o xue), E-36 (ZUSANLI- tonifica o Qi, xue, yin, yang, yuan Qi, harmoniza Wei Qi e ying Qi, ergue o Qi e yang afundados, fortalece a Terra, regula os intestinos, circula e direciona o Qi do E, expele a umidade, frio e vento, clareia a visão, tranquiliza o Shen, promove a ressuscitação), IG-4 (HEGU- expele o vento externo, tranquiliza o Shen, alivia a dor, move o Qi e o xue, pacifica o yang do F, extingue o vento interno, tonifica o Wei Qi, facilita o parto, regula o IG, ponto de comando da face), TA-2 (YEMEN- Remove o calor da cabeça, expele o vento-calor, desobstrui o canal, regula o shao yang) e VB-43 (XIAXI- pacifica o yang do F, elimina o calor), para, somente então, fechar esses canais pelos pontos ID-3 ou P-7.

Os seguintes pontos clássicos da medicina chinesa são utilizados: YINTANG (tranquiliza o Shen, elimina o vento e calor, beneficia o nariz), F-3 (circula o Qi e xue de todo o corpo, pacifica o yang do F, extingue o vento interno, elimina a umidade-calor, tranquiliza o Shen, nutre o xue do F), IG-4 (expele o vento externo, tranquiliza o shen, alivia a dor, move o Qi e o xue, pacifica o yang do F, extingue o vento interno, tonifica o Wei Qi, facilita o parto, regula o IG, ponto de comando da face), CS-6 (move estagnações de Qi, xue e fleuma, tranquiliza o Shen, libera o Qi do F e VB, redireciona o Qi do P e E, relaxa o tórax, acalenta a dor), VB-34(relaxa e fortalece os tendões, resolve a umidade-calor na VB e F, desobstrui o canal, harmoniza o vento, yang e Qi do F), BP-6 (harmoniza o BP, R e F, drena o jiao inferior da umidade, tranquiliza o Shen, regula o útero, para a dor, move, tonifica e ergue o Qi, move, nutre, esfria e retém o xue).

  1. CONCLUSÃO

A acupuntura é amplamente utilizada como recurso terapêutico no tratamento da fibromialgia. A literatura acerca da medicina chinesa aponta que a patologia está relacionada com a síndrome de excesso de QI no fígado e deficiência de QI no baço-pâncreas e no rim ou mesmo com síndromes dos meridianos YIN QIAO MAI e YANG QIAO MAI.

As maiorias dos autores pesquisados salientaram que, a acupuntura é eficaz na diminuição dos sintomas da patologia e pode ser uma excelente opção de tratamento coadjuvante, auxiliando o tratamento padrão, pois oferece melhora da dor, do sono e do controle emocional, aumentando, consequentemente, a qualidade de vida dos pacientes. Cabe ressaltar que os pontos de acupuntura também podem ser feitos baseados no tender points.

No entanto, as revisões sistemáticas disponíveis são inconclusivas e escassas, a partir dos dados disponíveis conclui-se que a acupuntura pode ser recomendada para o tratamento complementar.

  1. REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS

BARBOSA, A. M. et al. Acupuntura no tratamento da fibromialgia: uma revisão de literatura. Revista Movimenta. v. 6, nº 2, 2013.

Disponível em: < http://www.nee.ueg.br/seer/index.php/movimenta/article/viewFile/660/509>

Acesso em: 24 de junho de 2016.

FERREIRA, E. A. G.; MATSUTANI, L. A.; MARQUES, A. P. Fibromialgia São Paulo: Manole. 2005.

HELFENSTEIN JUNIOR, M; GOLDENFUM; SIENA, C. A. Fibromialgia: aspectos clínicos e ocupacionais. Rev. Assoc. Med. Bras. v. 58, nº 3, mai/jun. 2012.

Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302012000300018>

Acesso em: 02 de maio de 2016.

HEYMANN, R. E. et al.  Consenso brasileiro do tratamento da fibromialgia. Rev Bras Reumatol. v. 50, nº 1. 2010.

Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/rbr/v50n1/v50n1a06.pdf>

Acesso em: 12 de junho de 2016.

HOEFLER, R; DIAS, C. D. Fibromialgia: doença obscura e tratamentos indefinidos. Boletim farmacoterapêutica. nº 1, jan/ fev. 2010.

Disponível em: < http://www.cff.org.br/sistemas/geral/revista/pdf/124/081a088_farmacoterapeutica.pdf>

Acesso em:  15 de junho de 2016.

JACOMINI, L. C. L; SILVA, N. A. Disautonomia: um conceito emergente na síndrome da fibromialgia. Revista Brasileira de Reumatologia. v. 47, nº 5, set./out. 2007.

Disponível em:    <https://www.researchgate.net/publication/250046997_Disautonomiaumconceito_emergentenasindrome_da_fibromialgia>

Acesso em: 04 de junho de 2016.

LIMA, R. P. Manual de acupuntura direto ao ponto. Porto alegre: Nova Letra, 2015.

MACIOCIA, G. A prática da medicina chinesa: tratamento das doenças com acupuntura e ervas chinesas. São Paulo: Roca, 2009.

MARQUES, A. P. et al. Validação da versão brasileira do Fibromyalgia Impact Questionnaire (FIQ). Revista Brasileira de Reumatologia.   v. 46, nº 1, jan/fev. 2006.

Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0482-50042006000100006>

Acesso em: 20 de junho de 2016.

MARTINEZ, J. E. et al. Correlação entre a contagem dos pontos dolorosos na fibromialgia com a intensidade dos sintomas e seu impacto na qualidade de vida. Rev Bras Reumatol. v. 49, nº 1, jan/fev. 2009.

Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0482-50042009000100004>

Acesso em: 06 de junho de 2016.

 SENNA, E. R. et al. Prevalência de doenças reumáticas no Brasil: um estudo usando a abordagem COPCORD. Journal of Rheumathology. v. 31, nº 3. 2004.

Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302012000300018>

Acesso em: 28 de maio de 2016.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE REUMATOLOGIA. Projeto Diretrizes da Associação

Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina – Fibromialgia. 2004.

STIVAL, R. S. M, et al. Acupuntura na fibromialgia: um estudo randomizado-controlado abordando a resposta imediata da dor.  Rev. Bras. Reumatol. v. 54, nº 6.2014.

 Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0482-50042014000600431&script=sci_abstract&tlng=pt>

Acesso em: 27 de maio de 2016.

TAKIGUCHI, R. S, et al. Efeito da acupuntura na melhora da dor, sono e qualidade de vida em pacientes fibromiálgicos: estudo preliminar. Fisioterapia e Pesquisa. v. 15, nº 3,   jul/set. 2008.

Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1809-29502008000300011>

Acesso em: 27 de maio de 2016.

TCM POINTS. Tradicional Chinese Medicine Points. 2016.

Disponível em: < http://tcmpoints.com/br/>

Acesso em: 28 e 29 de junho de 2016.

YAMAMURA, Y. Acupuntura tradicional: a arte de inserir. São Paulo: Roca, 2009.